artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Sexta - 18 de Agosto de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Não discuta com crianças! Você sai perdendo...

Por: Leonardo Lopes

Havia, na revista "Pais e Filhos", um espaço do Pedro Block,de coisas engraçadas que as crianças diziam.

Essas historinhas são verdadeiras.


Uma menina estava conversando com a sua professora. A professora disse que era fisicamente impossível que uma baleia engula um ser humano porque apesar de ser um mamífero muito grande, a sua garganta é muito pequena.
A menina afirmou que Jonas foi engolido por uma baleia. Irritada, a professora repetiu que uma baleia não poderia engolir nenhum ser humano; era fisicamente impossível.
A menina, então disse:
"Quando eu morrer e for ao céu, vou perguntar a Jonas".
A professora lhe perguntou:
- "E o que vai acontecer se Jonas tiver ido ao inferno?"
A menina repondeu:
- "Então é a senhora que vai lhe perguntar."

Uma professora de creche observava as crianças de sua turma desenhando.
Ocasionalmente passeava pela sala para ver os trabalhos de cada criança. Quando  chegou perto de uma menina que trabalhava intensamente, perguntou o que desenhava. A menina  respondeu:
-"Estou desenhando Deus."
A professora parou e disse:
-"Mas ninguém sabe como é Deus."
Sem piscar e sem levantar os olhos de seu desenho, a menina respondeu:
- "Saberão dentro de um minuto".

Uma professora de escola bíblica estava discutindo os dez mandamentos com seus pupilos de 5 e 6 anos. Depois de explicar o mandamento de "honrar pai e mãe", perguntou:
- "Tem algum mandamento que nos ensine como tratar os nossos irmãos e irmãs?"
Um menino, o mais velho de sua família respondeu:
- "Não matarás."

Uma honesta menina de sete anos admitiu calmamente a seus pais que Luis Miguel  havia lhe dado um beijo depois da aula.
- "E como aconteceu isso?" Perguntou a mãe assustada.
- "Não foi fácil", admitiu a pequena senhorita, "mas três meninas me ajudaram a segurá-lo".

Um dia, uma menina estava sentada observando sua mãe lavar os pratos na cozinha.
De repente, percebeu que sua mãe tinha vários cabelos brancos que sobressaíam  entre a sua cabeleira escura. Olhou para sua mãe e lhe perguntou:
- "Porque você tem tantos cabelos brancos, mamãe?"
A mãe respondeu:
- "Bom, cada vez que você faz algo de ruim e me faz chorar ou me faz  triste, um de meus cabelos fica branco."
A menina digeriu esta revelação por alguns instantes e logo disse:
- "Mãe, porque TODOS os cabelos de minha avó estão brancos?"

Um menino de três anos foi com seu pai ver uma ninhada de gatinhos que haviam  acabado de nascer. De volta a casa, contou com excitação para sua mãe que havia  gatinhos e gatinhas.
- "Como você soube disso?" perguntou a mãe.
- "Papai os levantou e olhou por baixo", respondeu o menino. "Acho que ali  estava a etiqueta".

Todas as crianças haviam saído na fotografia e a professora estava tentando persuadi-los a comprar uma cópia da foto do grupo.
- "Imaginem que bonito será quando vocês forem grandes e todos digam ali está Catarina, é advogada, ou também Este é o  Miguel. Agora é médico".
Ouviu-se uma vozinha vinda do fundo da sala:
-"E ali está a professora. Já morreu."

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato