artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Quarta - 24 de Maio de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Progressividade

Por: Garoto Loko (IT)

   E vamos aos debates da cooperação nacional vigente hoje em dia.
   É de muito e muito tempo que se fala em República Federativa do Brasil, em governo(em minúsculo mesmo), em cooperação nacional e responsabilidade social.
   O que imaginam aqueles ou aquelas que fazem uso desses termos? o que é toda essa gama de relações das instancias sociais para um inclusão?
   Se fala em inclusão digital...porém o brasil é discarado e recordista quanto a exclusão digital, onde aufere preços não consideráveis para acesso a rede de computadores. Existe alguma política exclusiva para que as classes humildes possam ter acessos gratuitos nos seus bairros ou escolas?
   Fala-se muito em renda per capita, produto interno bruto e crescimento econômico com instalações de grandes industrias internacionais no país para vagas e postos de emprego. Mas o que se vê é uma política assistencialista que concede míseros reais as essas famílias de classes insustentávéis. É bolsa-café,bolsa-almoço,bolsa-jantar,bolsa-vestimentas,etc. E o emprego onde vai? É disprezível do seu total esses programas? a minha resposta é não! toda e qualquer iniciativa tem o seu valor e prosperidade por mínima que seja. é muito claro a míseria do povo brasileiro quando se vê muitos serem gratos as quantias distribuídas por essas programas que por incrível que pareça garante a vivencia de muitos. Por sua vez acho que seriam muito mais proveitoso e de profundo impacto social e econômico o provimento das vagas fantasmas de empregos prometidas. Vagas essas que vão muito além de poderes economicos e sociais. Vagas essas que acarretariam um quadro de estímulo,valorização e crescimento pessoal e profissional, diminuição das persperctivas para doenças pscicológicas como a depressão que é o grande pivô e porta de entrada para outras suscetíveis doenças no sec. XXI.
   Felizmente e graças a Deus no momento atual não faço nescessidade do programa bombastico e marketeiro do governo PeTista. Onde andas o Fome Zero? quais os dados econômicos e curva de crescimento econômico que o mesmo vem atingindo para erradicação da fome e miséria que muitos almejam?
   Tocando no ponto da cooperação nacional..onde ficam as políticas paralelas para o impulso  e provimento das ONG´s e demais setores que formam a sociedade civil? O governo lança políticas compensatórias para empresas com deduções de impostos e encargos públicos para aquelas que aceitaram e contratarem jovens inexperientes, mas por que não também uma parceria de deduções para aquelas que estabeleceram relações com as ONG´s?
   Fala-se muito em responsabilidade social, mas no país em que vivemos muitos, senão a maioria só faz ações sociais se obrigados ou em ocasiões de colegial. então porquê não levantar o tocante da responsabilidade social como uma questão obrigatória ou incentivadora?
   Dar algo em troca aqueles que exercerem ações sociais em troca a necessidades pessoais. Estaria assim formando cidadãos com experiencia de forma descomplicada e sem que percebam. Estaria dando aos muitos a chave para uma experiencia na busca posterior de um emprego formal. Além de ao mesmo tempo estar ajudando a construir um país mais unido e progressivo. Progressivo: palavra está que onde vivemos se resume apenas a Bandeira nacional ou aos milhões que os famosos ganham e quando bombardeados pela mídia crescem os olhos de muitos como exemplo de vida. Exemplo apenas pelo dinheiro que refleti a ganancia no dia-a-dia e a suscessão de assaltos. Exemplo e vida hoje em dia não é batalhar e ir em busca do que se sonha e sim achar caminhos e atalhos para geração de capital. Ter e ter e ter... Seria isso qualidade de vida?
   Há muitos que dizem que meu grito é mudo e que escrevo para mim mesmo ou para ninguém. Isto só porquê não estou no topo, não sou nacionalmente reconhecido. A nova geração tem uma preocupação muito grande de que todos fiquem sabendo de algo para que se tenha importancia.
   Escrevo para mim mesmo sim e além disso para aqueles que tem a sensibilidade e vêem algo de interessante. Nos quais fico muito grato pela humildade por sinal! Escrevo porque gosto, por que sinto-me necessario. Escrevo também como uma auto-reflexão do que venho fazendo ou do que posso fazer para tentar melhorar as coisas que vejo e que me deixam indignado. Escrevo porque não consigo compreender que muitos estão pelas ruas jogados, com frio, passando fome, sendo violentados por serem mendigos ou idosos, pelos muitos que andam kilometros carando lata, pelos muitos que me fazem chorar por dentro quando entro no onibus pedindo ajuda para comprar comida ou remedio para seus filhos ou para se próprio por estarem doentes, pelos que têm tudo e reclamam da vida e esnobam dos seus irmãos de Deus e paralelo minhas lagrimas são de sangue quando vejo pessoas com problemas auditivos,visuais ou físicos que encontraram uma vontade e motivo para viver e continuar sorrindo.

   As vezes diante a tanta levadinha me perco nas palavras e termino desejando a todos um Abençoado e memorável dia de finados a todos aqueles que se encontram entre nós e aos que já se foram e deixam lembranças até hoje. Bençao ao brasil por dias melhores, pois só posso crer a cada dia que a Vida é Loka e da muitas voltas...mas que numa dessas voltas espero estar vivo e ver este país transformando e mais educado para partilhar. Que essa volta não seja apenas no rotulado Céu e sim nele e na Terra.

   31/10/2004
   Igor Tanigushi

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato