artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Terça - 27 de Junho de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Um conceito errado de Periferia

Por: Alexandre M. O. Valentim

A maioria das pessoas tem o mesmo conceito das periferias, diga-se aqueles que não moram, trabalham ou convivem nessas regiões. A primeira imagem que se tem quando se fala ou se pensa nessas localidades mais distantes dos centros urbanos é o caos total: lugar feio; sujo; violento; desprovido de infra-estrutura e lazer. De todo modo não estão errados, pois o que passam para nós quase sempre é o lado negativo, é uma imagem estereotipada que nem sempre representa a realidade. Mas a periferia é muito mais do que só coisas ruins, ela transcende tudo isso. Dentro das periferias há várias periferias. É de certa forma contraditório essa afirmação, mas esses arrebaldes das cidades encerram desde áreas mais urbanizadas e com toda a infra-estrutura, até rincões em que o esgoto corre a céu aberto e a violência grassa abertamente. Vejamos um bom exemplo dessa realidade, o distrito do Jardim Ângela, zona sul da cidade de São Paulo, esse bairro periférico, para aqueles que só ouviram falar pelo nome e quase sempre negativamente, tem em seu bojo duas realidades periféricas contraditórias, o centro do bairro e seu arredor imediato, que concentra uma boa infra-estrutra urbana onde não faltam ruas asfaltadas, saneamento básico, iluminação elétrica, coleta de lixo, linhas telefônicas, serviço de correio e posto policial entre outros serviços que nada se diferenciam de outros bairros mais centrais. Além disso, o comércio local é bastante diversificado e dinâmico e já há uma classe média estabelecida que demandam toda sorte de bens e serviços. Em compensação, o outro Jardim Ângela mais conhecido e que dá fama ao bairro é mais distante dessa centralidade desenvolvida do distrito, é diferente da sua porção mais rica, tendo carências várias de infra-estrutura e onde a violência é alta em relação aos homicídios e, a população mais humilde sofre com a ausência do poder público nunca presente. Esse exemplo do distrito do Jardim Ângela reflete o que acontece em outras periferias. Essa dualidade ou dupla personalidade que se esconde nessas regiões difere do imaginário popular que entende como uma só as periferias brasileiras e não vêem a contradições que se encerram nesses espaços urbanos e, que pode ser diferente do que eles imaginam.

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato