artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Sexta - 18 de Agosto de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Saudades x Amor

Por: Garoto Loko (IT)

 

 

Saudades

    Venho falar de alma e dor. Duma coisa chamada amor. Daqueles verdadeiros que não se finge nem sendo ator. Aquele que faz falta e onde tudo perde a cor. Falta que lhe faz perder a vergonha, implorar e pedir por favor. não me venha com simplicidade e conselhos de força e se na verdade tuas palavras são por piedade, piedade daquele que está de fora e acha que é drama, depois dá as costas e pensa que me engana. Saudades que gera angustia insana, uma dor no peito maior do que qualquer diagnostico que um hospital ja viu no leito. Dor que não importa se você é guerreiro ou imperador te leva ao chão banhado em lágrimas diante a tanta aflição. Saudade que é perfeccionista  e exibicionista, relembra tudo de bom, transforma todo momento em som, resgata o passado inesquecível, que por mais que você tente nunca vai ser invisível, saudades de uma mulher, de uma criança, seja de quem for. É inexplicável e não se mede o tamanho da dor. sofrimento que te deixa lento e lerdo que nem jumento. Saudades de cada lugar, do cheiro, do olhar, dos beijos e até das discussões. Quando é bom, quando é importante, quando se é o melhor, não da pra trocar, arrumar um outro par e pedir pra curar a dor que você não consegui curar. É pura perde de tempo e desesperador quando se tenta arrumar em outra pessoa o que uma já conquistou: o amor, o sentimento. O que dizer do ciumento que por muitos anos esperou o seu par de amor, o que dizer do viuvo que se isolou e nunca mas se relacionou por que a vida, seu amor levou. Homens de marmore é so fachada, por dentro é fragil e humano, quando quebra não serve pra mas nada. Dor incomparável, que da vontade de gritar, não existe lágrima que faça passar, não tem remédio pra curar. Saudades do que se foi, que desculpa nenhuma pode resgata, saudades daquilo que você perdeu de vista e não pode tocar, saudades de um abraço ou de um olhar, saudades que tira a vontade de viver , saudades dominante que gera uma febre delirante, que lhe tira o sono enquanto você que dormir pra nunca mais acordar, saudades que é teimosa e te obriga a pensar por mais que tente se acalmar, saudades que enlouquece, que culpa, que desgasta, saudades quem nem o tempo pode apagar, saudades que não cabe no coração, causa olheira de tanto choro e decepção, ilusão ou ficção? saudades que você não sabe no que pensar, saudades que lhe converte, que lhe oferece varias religiões, mais nenhuma dela ameniza suas emoções, inteligencia emocional que nessa hora é banal, saudades que te leva a um porre, lhe acorda com ressaca querendo denovo chapar, saudades que faz você perder a classe e dormir numa mesa de bar, saudades que nem o melor amigo pode ajudar, saudades que dá vontade de sumir e desisti de tudo que você construiu até aqui. Chega de hipocrisia de que homem não pode sofrer e nem chorar. Seja homem ou seja mulher já sai da barriga aprendendo a berrar, dependendo do cordão bilical, depedendo de mamar, de ajuda pra andar, orgulhosos e pretensiosos seres humanos que o mundo da voltas e só porque aprendeu a andar acha que nunca mas vai precisar de ninguém pra lhe ajudar, que é grande e pode se virar, a cada obstaculo da vida voltamos a engatinhar, uns são baixos e logo você aprende a pular, outros são enormes e te faz ajoelhar procurando alguém pra lhe salvar. Saudades daquelas que você mesmo tem vontade de escolher a hora do destino parar. Saudades que faz você viajar, gastar, chutar tudo pela frente,saudades que você não tem vontade de levantar, nem de trabalhar, falta apetite e estiga pra estudar. Saudades distribuida por cada comodo, por cada esquina, shopping e praia, saudades que te controla a todo instante, saudades que não substitui, que não adianta banco de reservas ou sósias, saudades de desejos, de carinho, saudades mas memoráveis do que museu, saudades que lembra de cada presente, de cada toque, do primeiro beijo e do dia em que você conheceu, saudades que desabrocha e encendeia seu coração como tocha quando aquela música toca e relembra os momentos felizes que você viveu. Saudades que cega e revolta querendo aquilo que pensa ser só seu, saudades de quem lhe apresentou um sentimento que nunca mas esqueceu, que nunca sentiu e com outra face aprendeu. Saudades dos sonhos, das brincadeiras, da votade de formar uma família, saudades de eternizar e nunca se separar, saudades-raiva que da vontade da vida ser como um quebra cabeça que tudo fica bem quando você termina de montar, como uma novela que você pode criar, os capítulos editar e um fim de alegrar. saudades que cientista nenhum conseguiu desvendar, saudades que nessa vida ninguém consegui vencer, onde todos aprenderam a sofrer e aceitar, saudades de um ente querido que partiu sem se explicar, sem se despedir e dizer quando ia voltar, saudades que é rapida demais na hora de levar, entra e leva tudo de casa, pra que quando chega nada encontrar, ficar que nem besta a se perguntar, onde errou , onde acertou e porque tudo que era bom e feliz lhe deixou, saudades que da fraqueza, olheira, tontera, saudades que te deixa pessimista, sem saída se perguntando como você vai fazer pra recomeçar, pra andar, pra viver sem sofrer e sem se lembrar, saudades que consegui frustar, saudades que revolta e tira a vontade de sonhar. Saudades do libido, saudades do corpo a corpo, das inumeras vezes que conseguiu amar a se entregar, chegar ao nirvana  com um enorme sorriso no rosto, saudades de quem você agradece pelo simples fato de estar ao seu lado, de existi. Saudades só se sente daquilo e de quem consegui lhe fazer muiiiiiiiiiiito FELIZ !!! Saudades !!!

Vida loka luta, sofre e principalmente também ama !!!

Por Igor Andrade Tanigushi

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato