artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Sexta - 18 de Agosto de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Música x Dinheiro x Mídia

Por: Garoto Loko (IT)

 Neste artigo vou tentar me colacar numa posição analista e tentar não deixar a emoção se tornar a interlocutora do texto.
    A indústria da musica sempre foi um caldeirão de bandas que iniciam e tentam vencer no mercado entre outras que venceram e tentam se manter no mercado e nas entrelinhas dos contratos muitas vezes escravistas das gravadoras e da massificação da mídia. Disso tudo e que viver de música não é tão simples e fácil quanto parece todos sabem.
    diante as várias facetas de estilos musicais sobreviventes, vou enfocar no estilo do RAP. estilo esse do qual eu escuto, admiro e tento seguir alguns preceitos. Deixo claro de antemão que todos erram e escolhem caminhos. Seja na política, na medicina, no RAP, na religião....As regras de cada área citada anteriormente são históricas e existentes, porém nem todo médico tem ética, nem todo polítco é honesto e consequentemente nem todo MC ou pivor dos elementos do RAP seguem os preceitos e pensam da mesma forma.Mesmo que o movimento seja em pró da união e inicialmente se busque o mesmo raciocínio e propósito, cada um leva sua carreira e vida de forma diferente nem que seja um pouquinho. Isso devido a uma coisa chamada personalidade. Seja lá uma personalidade dupla, forte ou fútil, cada um tem a sua e eu não sou diferente. Não sou santo e muito menos o conhecedor dos conhecedores do RAP/HipHop. Portanto não vou estar aqui falando em nome do RAP( e nem tenho pretensão para isso), vou estar falando do RAP.
    A Indústria musical do RAP tem sido os rótulos da mídia e até da moda. A história do RAP se explica como uma música de origem negra vinda dos guetos, onde o estilo musical citado gerava brigas entre gangs e grupos oposicionistas. Trazendo consigo nessa história um parágrafo que trz o surgimento do break como arte corporal e uma nova maneira de desafiar e gerar competições entre os grupos oposicionistas. dai um novo método de disputa menos violenta, através da dança. O Hiphop evoluiu assim como o mundo e praticamente tudo que existe nele. Hoje existem as ditas velhas e novas escolas, uns gritando por fatos reais de violencia e desigualdade soacial nos seios das classes sociais e outros gritando por atitudes de persistencia, luta e estigmativas de um mundo melhor. Quem pode julgar qual a melhor e mais correta? Existe um "dono" do HipHop para julgar isso?Para tudo é necessário dois pesos e duas medidas. Acredito que os dois sejam importantes para que o estilo musical continue existindo de uma forma ou de outra, para que se exista uma equilibrio alternativo e cultural para os que gostam da velha ou os que gostam da nova escola. Ninguém é obrigado a amar o 2pac ou o Marcelo d2, o africa bambaata ou os Racionais. Repressão e falta de cultura já existe demais e há anos! A música surgi da arte e deve ser apresentada como, mesmo que surja de um movimento. A música funciona e se mantem devido a um preceito legal chamado liberdade de expressão, liberdade essa que se projeta como uma das únicas desfrutáveis atualmente e ainda assim muita das vezes é tentada pelo poder judiciário audacioso e incomodado com as citações verbais das letras compostas. Diversificação musical é necessário assim como a concorrência. O que seria de nós se só existisse um tipo de colégio, um tipo de remédio,um tipo emissora? Você escuta e escolhe aquilo que lhe convém. E assim também sobrevivem no mercado os competentes alternativos e opositores paralelo aos "competentes" aliados á mídia, meios de veiculação e sistema vigente.Num exemplo bem básico: uns conseguem fundar um empresa sem dinheiro,administrar bem, e ser bem sucedido enquanto outros só conseguem sobreviver e ser bem sucedido ser herdar a empresa do pai,não passar por dificuldades e se aliar a política para ter benefícios no mercado. Cada um sobrevive pelo caminho que tem capacidade.
    Por fim e fazendo a minha análise pessoal: O HipHop como disse anteriormente deve e tem o direito de se renovar como tudo no mundo. E o estilo sendo nova ou velha escola é música/arte e arte é um mesclado de novidadese criatividade, é inévitável a reformulação. Agora o Hiphop como como estilo/movimento deve manter a essencia e não se vender. Diversificação, democratização e pluralização musical não é se apresentar na globo e nem em meios de veículação que nunca lhes deram espaço. Meios de veículação que quando querem e lhes convém cedem espaço para o HipHop por minutos ridículos na TV? Meios de veículação que cedem espaço apenas para uma faceta do HipHop(nova escola) e dizem que isso é democracia musical? diversificação musical?E a velha escola onde fica o potencial da mesma? O HipHop só tem qualidade e veracidade na nova escola?A mídia só tem espaço pros que cantam palavras educadas e versam formalmente? Ta certo que a velha escola pode não ceder e querer se apresentar nos reis do ibope da televisão brasileira. Mas pegando como exemplo atual será que se o Marcelo D2 quiser cantar um rap de maconha eles cedem espaço???? Onde está a essencia do HipHop que resistiu há anos de repressões e hoje permite ter MC´s que se deixam ser coordenados pelas emissorasa ponto delas determinarem quantos míseros eles vão ter pra cantar? Na hora do início de carreira, das noites perdidas, da turnê em onibus, dos míseros cachês, do suor gasto...todo o esforço de anos de luta pra chegar onde almejam passam a ser tão insignificantes a ponto de ser ditado quantos minutos tem pra cantar e quantas músicas? Não tô aqui discutindo dinheiro, pois nunca passei por sucesso,fama e andei na plebe pra falar que não ia querer ter vida classe A e gastar os milhões que tivesse a toda. Não posso afirmar que não ia me portar de tal forma sobre uma situação que nunca tive. Não quero discutir nem entender quem é rapper humilde ou não, quem é rapper de nova ou velha escola. Quero discutir a essencia do HipHop que não tinha respeito e espaço nenhum há 05 anos atrás, não estou falando de 50 anos, nem 10, estou falando de 05 anos atras. Não sou o dono da verdade, mas me corrija "alguém" deste site se há 05 anos atrás alguma emissora dava espaço pro RAP? Se alguma emissora colocava o RAP em trilha de novela? Não sou rapper,nem DJ. Sou um simples grafiteiro e amante do HipHop. Cada um contribui e faz da sua carreira o que quer. Mas que não se faça o que quer da essencia do HipHop. Quer ser nova uo velha escola seja, quer ser famoso,ganhar muito dinheiro,esbanjar, que faça, quer cantar na TV que cante, mas cante no seu tempo e não no tempo que eles determinam, que até cante a música que eles querem como porta de entrada, mas cante uma que você queira também, não deixem eles determinar qual música tem que cantar, que grafiti fazer, quanto tempo dançar Break, se você tem uma música que fala de cristo e outra que fala que político é filho da puta, cante as duas, não cante apenas a bonitinha e que agrade a eles não. Se você tem pretensão de cantar ou se apresentar na TV que faça, a carreira é sua e seu direito, mas não mude o seu vocabulário para isto, ou se achar por bem mudar, mude de estilo. Porque o HipHop é resistência e luta pela liberdade a todo custo, é movimento e cultura que vem das ruas e na rua mesmo que não possa você faz a sua arte mesmo que contrarei agluém e pague um preço pra isso, você dança, você grafita, você canta e faz a sua arte. Chega de ser usado e comandado, chega de ditadura e democracia disfarçada!

Estou aberto a diálogos: tanigushi33@hotmail.com

Fé, Hiphop e muita luta! Liberdade e conhecimento não se obtem com pó de fermento!

Vida loka!!!
www.tanigushi.gigafoto.com.br

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato