artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Quarta - 22 de Novembro de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


A idéia fixa de um ditador

Por: Marco Garcia

Na certa o presidente imperial americano, George W. Bush, não deve ter visto e ouvido as palavras de vossa excelência, presidente da câmara dos deputados, o sr. Severino Cavalcanti, quando este disse que, "quem tem idéia fixa é doido" (sic).

Mesmo com a perda crescente do apoio popular à invasão do Iraque, as muitas baixas de soldados americanos e a possibilidade de êxito a cada dia mais distante, Bush permanece irredutível nas suas idéias malucas. "Enquanto eu for presidente, nós ficaremos, nós lutaremos e nós venceremos", disse ontem o "Imperador".

Diante dessas declarações, me veio à memória um artigo que li há dias sobre o filme sobre o ditador alemão Hitler. "Bunker" acho que é esse o nome da película. Bunker também era o nome do esconderijo de Hitler nos momentos tensos da guerra. Enquanto seu país era massacrado pelas forças aliadas, o maluco do alemão ignorava o quadro catastrófico em que seu exército se encontrava, e dizia que era questão de tempo para que seus homens reagissem e obrigassem os países inimigos se renderem.

Pelas declarações das poucas pessoas que estavam com Hitler momentos antes dele cometer suicídio, ali, naqueles dias refugiado dentro de seu bunker, o ditador dava sinais claros de insanidade.

Agora, nos dias atuais, mais um candidato a ditador, comete os mesmos atos de insanidade do antigo maluco. A cada instante, a razão da permanência no país invadido muda de foco. A última é mais ou menos bizonha, para não dizer demagógica. Em congresso de Veteranos de Guerra, segunda passada, George Bush declarou que os EUA devem manter o engajamento total na guerra em homenagem as perdas de vidas dos soldados americanos, cerca de 1.800 até hoje. "Devemos algo a eles. Terminaremos a tarefa pela qual eles deram a vida", discursou o americano.

Sinceramente, a melhor homenagem que os EUA deveriam prestar aos mortos na guerra do Iraque, tantos americanos como iraquianos, seria a urgente retirada de suas tropas de terras alheias. Afinal, desde de seu início essa guerra insana, não tinha razão de ser ou base sólida para se  apoiar.

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato