artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Domingo - 28 de Maio de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Escola profissionalizante

Por: Marco Garcia

O menino respondeu à pergunta da professora:

- Quando eu crescer, quero ser empresário.

- Empresário? Que bom - disse a professora.

- É... quando eu tiver mais ou menos uns 21 anos, vou ser muito respeitado, por causa do meu trabalho. A senhora vai ver - repondeu o garoto com um brilho incomum nos olhos.

O tempo passou, a professora foi transferida de escola e perdeu o contato com o menino e com as pessoas do bairro. Após vários anos, já aposentada, passeando em um shopping, a professora encontrou com aquele aluno, agora um rapaz de 23 anos. Admirada com o seu jeito de vestir, todo cheio de roupas de marcas, uma namorada bonita e um filho de 4 anos, o parabenizou.

- Que bom, pelo visto você conseguiu realizar seu sonho de se tornar um empresário de sucesso - disse ao rapaz.

- Sim, professora, eu não falei pra senhora? E eu sou assim mesmo, quando eu quero uma coisa eu corro atrás. Posso pecar por excesso de tentativas, não por omissão. Hoje sou um cara bem sucedido, minha empresa dá emprego a muitos moleques do meu bairro. Sou o execultivo que aprimorou o programa "Primeiro Emprego" do governo.

A velha senhora ficou feliz em saber, que mesmo morando em um bairro pobre e perigoso, o antigo aluno tinha conseguido vencer na vida. Ela se despediu do casal e, de tão feliz que havia ficado com a notícia, nem quis entrar em detalhes a respeito da empresa do rapaz.

O rapaz viu a antiga professora se despedir, e com um sorriso no rosto, se vangloriou por ter cumprido a sua palavra, dada ainda quando era criança.

Realmente ele cumpriu a promessa. Hoje, ele é um "empresário" de sucesso. Todos o respeitam pelo status que ganhou devido seu desempenho como patrão. As mães, quando vêem ele passar, agradecem o emprego dado oas seus filhos.

Aquele pequeno menino, cresceu, e se tornou um traficante respeitado na região que o produto é distribuido. Respeitadíssimo. Os viciados o respeitam, e a polícia também.

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato