artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Quinta - 27 de Julho de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


A invenção

Por: Marco Garcia

Desde os tempos mais remotos que tenho visto, lido e ouvido falar, apareceram no mundo inúmeros inventores. Grandes e ilustres inventores.

E eles, com uma inteligência surreal, trouxeram até nós, humildes mortais, coisas maravilhosas que há muito tempo vêm facilitando nossas vidas.

Queria eu ter nascido com a capacidade da invenção; teria, com certeza, um futuro mais rentável. Mas isso é assunto para outro dia.

Bem, pifiamente introduzido o tema, deixarei cair nesta página de blog, algumas palavras soltas e frases casadas a respeito da maior invenção que este mundo já conheceu: A mulher.

Para começar, pinçarei alguma coisa sobre o seu inventor. O maior de todos, diga-se de passagem. "O criador"(como Ele é mais conhecido), não é humano. Nada poderia ser mais lógico. Para ter o "dom" de trazer ao universo tão belo e escultural modelo de invenção, Ele teria de ser celestial. Eu descreveria que foi a lógica da lógica.

"Dizem que  a mulher é um sexo frágil, mas que mentira absurda..." o cantor Erasmo Carlos, parceiro do rei, verbaliza nesta canção uma das mais brilhantes verdades.

Chega a ser irritante saber e perceber que vivemos numa sociedade tão machista. Na verdade, um mundo machista. Ao que me parece, as leis foram criadas para beneficiar pura e simplesmente os homens. Hoje, apesar de a mulher ter a mesma capacidade intelectual do homem(se esta não for maior) ela ainda sofre o preconceito e a discriminação de ter uma faixa salarial inferior.

Queria eu ter a sensibilidade da mulher. Queria eu ter o instinto e a capacidade de percepção delas. Vou citar aqui uma coisa que parecerá infantil, mas fazer o quê se é o que realmente sinto em relação às mulheres. Tem um dito popular que diz: (...) "Quando você estava indo com o milho, eu já voltava com a canjica." Aqui quem leva o milho é o homem e, ela, a mulher, com a sua inteligência acima do comum, traz a canjica pronta e quentinha.

Deixando as metáforas para o Presidente Lula(Claramente mais afeito à elas), voltarei ao tema trazendo ao relevo, novamente, a música de Erasmo.

Quero deixar uma coisa bem clara aqui, o sexo frágil faz parte na mais pura realidade é do universo masculino. Ou alguém tem dúvida de que Deus não permitiu que o homem tivesse condições de gerar e parir uma criança, por saber que ele, homem, não suportaria as dores do parto e não teria quantidade afetiva o suficiente para fazer do filho um ser saudável? É só ver no dia a dia quem tem mais facilidade de convivência com as crianças.

Queria eu conhecer a arte da compreensão, tão comum nelas. Totalmente diferente deles que, ao menor constrangimento, querem resolver na porrada.
Maldito do homem que para satisfazer seu ego destroi países e matam pessoas inocentes.
Queria eu viver tempo suficiente para ver no comando das ações mundiais a mulher. Temos provas cabais de que com eles não deu certo.

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato