artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Quinta - 21 de Setembro de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


INFÂNCIA PARTIDA

Por: Ivan de Carvalho Junqueira

            Como qualquer outro indivíduo, carecem as crianças, como, também, os adolescentes, da devida atenção por parte do Estado, em se tendo por referência o efetivo respeito para com os seus direitos humanos. Em termos práticos, um país que possui milhões de meninos de rua em situação de risco a enfrentarem sérios problemas, dentre os quais: a fome, o uso de drogas, a ação da Polícia e a criminalidade, a prostituição, a gravidez precoce, o déficit educacional e o trabalho infantil, vêm a violar os objetivos de uma sociedade minimamente democrática e justa.

            Senão vejamos:

            Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), no mundo, ao menos 29 mil crianças morrem todos os dias de doenças, tais como: diarréia, desidratação ou malária, facilmente combatidas em condições adequadas e de higiene.

            Em torno de 126 milhões de meninos e meninas com até cinco anos se encontram com peso abaixo da média, o que eleva os índices de mortalidade infantil, fazendo com que, a cada ano,10,8 milhões de crianças morram em decorrência disto.

            Desde 1990, quase 4 milhões de seres humanos perderam suas vidas em conseqüência direta de conflitos armados sendo que, deste total, nada menos do que 45% eram crianças.

            Nos chamados países em desenvolvimento, metade das crianças vive em condições precárias e, pois, abaixo do esperado. Sendo que 63% das crianças menores de 6 meses, não recebem adequadamente o leite materno, tornando-as vulneráveis a infecções e causando-lhes danos irreparáveis à saúde.

            Mais de uma em cada três, mora em casas com pelo menos cinco pessoas por cômodo ou cujo piso é de terra batida.

            Aproximadamente 25% delas, não dispõem sequer de água potável e, uma em cada sete crianças, não recebe qualquer tipo de atendimento médico. E mais de 16% das crianças menores de cinco anos não se alimentam de forma adequada, sendo que 13% nunca foram a uma escola. Além disso, 300 milhões de crianças não têm acesso à informação como, por exemplo: televisão, rádio, jornais ou telefone.

            Acrescente-se, ainda, o triste aumento do número de infectados pelo vírus HIV/AIDS ao redor do planeta, a vitimar milhões de crianças que, por vezes, já são órfãs. Na próxima década, caso sejam tomadas providências bastantes no intuito de se garantir a toda e qualquer criança o acesso à educação, nada menos do que 7 milhões de novos casos poderiam ser evitados, segundo a OXFAM, fundação internacional dedicada à cooperação para o desenvolvimento e para a ajuda humanitária.

            O tráfico de seres humanos movimenta, a cada ano, de 7 a 9 bilhões de dólares. Do total de vítimas, 48% são crianças, à maioria proveniente da Ásia e da África.

            A mão de obra infantil continua sendo assiduamente empregada e, dependendo do lugar, o é em larga escala. Estimativas dão conta de que, atualmente, 246 milhões de crianças estão trabalhando.

            No Brasil, ainda de acordo com a UNICEF, em média, 16 crianças e adolescentes com idades que variam entre 10 e 18 anos, são assassinados todos os dias. Sob outro prisma, 75% das crianças agredidas no próprio lar têm até 10 anos de idade.

            Cerca de 27,4 milhões de crianças e jovens entre 0 e 17 anos convivem em famílias cuja renda per capita não ultrapassa o valor de meio salário mínimo.

            Em consonância à pesquisa divulgada pelo Centro de Referência, Estudos e Ações sobre a Criança e o Adolescente (CECRIA), apenas no país, existem 241 rotas à exploração sexual infanto-juvenil, sendo que, destas, 131 conduzem ao exterior.

            E você. O que pensa sobre isso?

 

Ivan de Carvalho Junqueira

Bacharel em Direito

ivanjunqueira@yahoo.com.br
COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato