artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Sexta - 24 de Novembro de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


HISTÓRIA NÃO-VERDADEIRA

Por: Fernando Alex

Olá, gente. Como amo escrever histórias, estou enviando para dividir com vocês, um texto que não aconteceu, ele é fruto da imaginação. Gostaria que vocês, internautas, me enviassem alguma sugestão se quiserem.

VINGAR OU NÃO

Numa favela distante da cidade, onde muita gente honeste e inteligente integrava, existia Marcos que era dono de um grupo de assaltantes. Num desses integrantes, tinha Flávio. Ele era o menor, o mais novo e não queria praticar roubos nem se meter em confusões, mas o ameaçavam.

Certo dia, Flávio, com um revólver na bainha, muitos gritos e tiros, o fez assustar. Ele escondeu-se atrás de uma enorme pedra. Ouviu um grito, e parecia ser de sua mãe. Ouviu outro: com certeza era de sua irmã pequena.

O sangue, a morte, tudo o atormentava. Numa confusão de imagens e alucinações, ele teve de encarar o fato que sua irmã pequena e sua mãe morreram.

Correu até Marcos, que estava ali, vendo os dois corpos no chão.

- Marcos, quem fez isso?

- Um certo Edinho...

- Você sabe onde ele mora?-essa pergunta lhe fez chorar.

Marcos respondeu onde era isso.

Numa noite muito calma, paciva, com o cheiro da noite cobrindo toda a favela, Flávio levava consigo uma arma, entre outras coisas em mente. Foi até onde o tal de Edinho ficava. Ao vê-lo apontando uma arma a uma mulher, dizendo:

- Sua idiota! Passa logo o colar!

Flávio apontou seu revólver a Edinho. Até então, estava atrás dele, apenas a mulher lhe via. Antes de Edinho apertar o gatilho para a mulher, o que faria, Flávio pensava se atirava ou não: SE VINGAVA-SE OU NÃO, daquele monstro que acabou com a vida de duas pessoas. Abaixou a arma, e viu a mulher caindo, Edinho pegando o colar e todo o dinheiro e pulando casas, fugindo.

A polícia viera naquela mesma hora, sem ruídos nem sirene. Prendeu Flávio.

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato