artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Terça - 27 de Junho de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Vivo no crime, mas não sou do crime.

Por: Leonardo Lopes

Como é difícil conviver me meio à violência, saber que muitos dos seus amigos de infância, que jogavam bola na rua com você hoje são precursores desta violência. Talvez você até seja confundido com um de seus amigos que agora fazem parte de um meio de criminalidade. E você, cidadão comum que se esforça para ter uma vida normal, pode ter o mesmo trágico fim de um nóia ou um traficante, ou um bandido.

Então a grande pergunta: Qual a vantagem de não se envolver no crime que tanto te seduz na periferia ?

Poxa, todos os seus amigos que estão no mundo do crime estão bem, desfilam de roupa de marca, Golf, Ômega, e agora a onda é carro antigo mexido, hot-road. E você, lutando prá pagar uma das 20 prestações de um fusca que você nem sabe se aguenta andar até a esquina.

A sua visão de querer levar uma vida socialmente e moralmente correta, meu amigo, é a certa. Mas como tudo que é certo na vida é mais difícil, trabalhoso, complicado e exige muito mais da nossa dedicação.

Sabe aquele ditado: Tudo que vem fácil, vai fácil ? é a mais pura realidade. E tem mais, tudo que é conquistado com o suor, com trabalho, com esforço, tem um gostinho especial.

Tive amigos que jogavam bola comigo na rua e um dia, por causa do crime, morreram cedo demais, talvez eles tivessem tido muitas das coisas que eles queriam, mas não tiveram tempo para desfrutar. A ambição nos faz perder o valor pela vida, que na verdade, deveria ser o maior motivo da nossa ambição. Deveríamos ao invés de buscar a felicidade em bens, sucesso, fama, buscar a felicidade nas coisas simples da vida, naquelas que você tem e não naquelas que você almeja ter. Se um dia conquistar, ótimo, mas não faça a sua felicidade depender de um sonho que talvez não se realize.

É importante ter os pés no chão e a cabeça no lugar, sonhar nunca é demais, mas pense que você tem muita vida pela frente e pense que seu sonho pode se realizar, mas ele só será completo se você conquistá-lo e poder desfrutá-lo, senão, de nada valerá.

Quanto aqueles que se foram e não puderam desfrutar dos sonhos conquistados, podemos fazer o que, senão lamentar e aprender com os erros deles. A vida prega muitas surpresas para nós e somos obrigados, pela própria sobrevivência a fazermos coisas que não aceitamos como corretas, mas também, sempre existirão portas abertas para aqueles que desejam uma vida digna, moralmente e socialmente correta.

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato