artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Segunda - 21 de Agosto de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


E

Por: Sônia Carvalho

E quando a dor se fez presente, eu busquei o poder de prece.

E quando a queda foi inevitável, eu acreditei na esperança.

E quando a luz se apagou, eu investi na confiança.

E quando as adversidades surgiram, eu pratiquei a fé.

E quando o egoísmo chegou, eu semeei a bondade.

E quando o ódio brotou, eu compartilhei o amor.

E quando os inimigos avançaram, eu ofereci a fraternidade.

E quando os caminhos se tornaram escuros, eu clamei a proteção divina.

E quando o pavor cresceu, eu procurei a coragem interior.

E quando as intrigas aumentaram, eu descobri o perdão.

E quando a injustiça ocorreu, eu continuei o caminho.

E quando os trovões ecoaram, eu cultivei a paz de espírito.

E quando a ferida doeu, eu soube esperar por um novo dia.

E quando as transformações foram repentinas, eu confiei na sabedoria divina.

E quando a doença chegou, eu me empenhei em buscar a verdadeira cura.

E quando as dificuldades se multiplicaram, eu pratiquei a perseverança.

E quando os prazeres se tornaram tentadores, eu busquei a disciplina.

E quando os vícios procuraram me envolver, eu lutei por meu progresso espiritual.

E quando as pedras foram atiradas em minha direção, eu enxerguei a proteção do manto de Maria.

E quando o vento passou forte, eu deixei que ele levasse o que não me servia mais.

E quando a maledicência se apresentou, eu me mantive calado.

E quando a solidão nasceu, eu encontrei refúgio na solidariedade.

E quando o amor foi embora, eu sai a semeá-lo pelo mundo.

E quando tudo parecia acabado, eu encontrei forças para recomeçar e perceber que ainda havia muito a ser feito...

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato