artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Terça - 27 de Junho de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Reconhecimento

Por: Garoto Loko (IT)

Por algum tempo achei que fosse louco e idiota sozinho nesse mundo. Andava pelas ruas e como sempre fui curioso, procuro me atentar e prestar atenção em todas as coisas, desde as que me agradam ate as que me revoltam. Diante a isso eu procurava elogiar as coisas e pessoas que me agradavam e chamavam a minha atenção e por outro lado procurava criticar de forma construtiva ou procurar mudar as coisas coisas que me revoltava. As criticas hoje em dia são normais do meu ponto de visto. Existem diversos tipos de criticos, os criticos por natureza e natureza invejosa, os criticos de arte, os criticos de esporte que criticam sem que nem pra que e sem nenhum fundamento, os criticos amigos, os criticos que viram criticos não por gostar de analizar, mas sim porque critico hoje em dia é profissão e pode dar dinheiro, então nesse mundo de capital muitos resolvem pescar mesmo sem gostar de peixe. Enfim, hoje em dia tem critico pra dar e vender, empresatr e alugar, doar, ceder e ainda sobra um grupo como reserva do reserva. A mim todas as criticas são bem vindas, afinal não sou perfeito. Algumas me abalam quando são bem estudadas, outras nem sequer escuto e dou valor e algumas importantes eu nao consigo perceber. Como ja citei devido a minha imperfeição, mas logo a frente a vida me ensina e me mostra que fui displicente e não ouvi aquela colocação critica que passou despercebida. Mas como costumo dizer: na vida nada se perde, tudo se reaproveita, seja como amadurecimento, seja como cicatriz, seja como lição, seja como emoção e por ai vai. As minhas revoltas transformadas em critica, algumas delas venci, outras ganhei o titulo de arrogante, outras perdi porque critiquei sem fundamento e conhecimento previo do assunto. tudo bem , Mas me orgulho de sempre procurar criticar pra ajudar a construir e não pra destruir a alma e esperança de uma pessoa. Ao avesso da critica o elogio, o reconhecimento, a palavra doce e bem colocada, o apoio, o olhar de compreensão e o gesto de esticar as mãos é pouco praticado no mundo de hoje em dia sem ser em troca de algo. Mas eu como doido que sou ( assim me definem muitos por ai ) ainda hoje procuro exercitar meu velho costume tanto o de criticar as coisas que me revoltam como de elogiar o que me encanta. Mas isso causa certo espanto hoje em dia, as vezes ate gera inumeros risos. Um exemplo disso é quando vou a um restaurante ou lanchonete com amigos e sou bem tratado pelo garçom ou a comida esta saborosa, eu procuro esticar as minhas mãos e agradecer pelo atendimento ou procuro o dono do estabelecimento e elogio os serviços oferecidos pelo empreendimento. O Resultado eh quase sempre de risadas e mais risadas ou a pergunta simultanea das pessoas ao meu lado se sou louco por ficar fazendo este tipo de atitude. Ta certo que muitas vezes tambem sou surpreendido, agradeço e nem sequer olham para meu rosto ou dizem de nada. Mas pra mim não importa tanto, pois metade do objetivo foi cumprido, eu fiz minha parte. Pois muito se sabe usar, pedir e utilizar a boa vontade e qualidade das pessoas hoje em dia, mas depois de servidos e bem sucedidos com a prestação daquela pessoas damos as costas e continuamos nosso mundinho unico e isolado-egoista. Dai me pergunto, como garantir que a comida daquela local tao agradavel que fomos um dia continue sendo excelente daquela mesma maneira se não falarmos? como continuar a ser tratados com qualidade se não reconhecemos? E como motivar nossos irmãos do mundo afora a continuar sendo bom no que fazem se não sairmos do nosso pedestal e reconhecermos o feito? Só porque existe pesquisa de mercado? concorrencia e veículos de comunicação para julgar o que é e está bom na atualidade? Sera que estes processos são tão satisfatórios? satisfação é como um voto, a maioria prefere um, a minorias prefere outros, uma outra parcela nao prefere ninguem, outra parcela nao se convenceu com ninguem e outra parcela nao se decidiu. Entao é importante exprimir seu gosto, sua satisfação. Não basta pagar pelo que consumiu, não basta arcar com as contas de telefone e luz que lhe proporcinam a internet e lhe concede aprender, ai depois voce desconecta e adeus a quem lhe ensinou ou onde voce aprendeu. Não basta voce reclamar da policia e a pessima sensação de insegurança e quando a mesma tem uma boa ação você fecha os olhos e faz de conta que não viu nada. Tambem não basta so por ego negar os pontos positivos do concorrente, do suposto inimigo. É preciso falar obrigado, é preciso abraçar o amigo de anos e dizer que é feliz pela sua amizade mesmo que ele já saiba, é importante olhar pro lado e ficar grato por ter um pai e uma mãe, é importante passar pelas ruas e dar boa tarde ao serviço do gari em retorno da sua cidade esta limpa, não é preciso amar a política para pelo menos observar o que surgiu de melhor do que o anterior ( sim mesmo sendo obrigação deles melhorar a comunidade e a população )... Logico que tambem já fui falho em algum ou ate muitos pontos do que falei aqui, não fujo a regra e aqui tambem sou um sobrevivente buscando meu lugar ao sol, buscando minha benção, buscando amadurecer, errando para conseguir chegar ao acerto e no fim da caminhada poder descansar em paz com minha propria nota final. O que quero dizer é que caso se esqueça, é normal, mas caso se lembre, não seja omisso e preguiçoso, se comunique e diga obrigado ao que de bom vê na vida. Sim jogue dos dois lados, critique o que lhe revolta, mas não seja um critico de cotovelo e faça elogios sem precisar ser plagiador. Humildade é a chave e com ela já consegui fazer inumeras amizades, muitas em nem conheço pessoalmente, mas quando preciso de qualquer coisa sei que posso contar com eles que os mesmos me atenderão com maior prazer. Viva o reconhecimento, viva a amizade, viva o conhecimento é para essas pessoas que praticam ou procuram praticar esses gestos que dedico este texto. Pois este texto surgiu assim, num momento delicado da minha vida, onde passo por alguns problemas pessoais e de saúde e através do reconhecimento me senti mais forte e preparado para essa fase que me encontro. Reconhecimento este de uma pessoa que nem se quer me conhece e nem sabe como vivo ou como estou passando, mas que me ajudou muito não so pelas palavras, mas por descobrir que ainda não sou o unico louco neste planeta terra que elogio e reconheço as atitudes boas das pessoas mesmo sem conhece-las. Este texto é em homenagem a P. Rodrigues (Pseudo para preservar identidade da pessoa)

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato