artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Terça - 23 de Maio de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Rhythm and Poetry

Por: João Batista Soares de Carvalho

O RAP (abreviatura de rhythm and poetry), expressão mais forte da cultura Hip-Hop, foi criado por jamaicanos em Kingston e desenvolveu-se no Bronx, Nova York, em meados dos anos 1970. Transformou-se num forte veículo de contestação e denúncia das agruras dos grupos marginalizados que ocuparam as periferias dos Estados Unidos – jovens de origem afro-americana e caribenha.

Os Dj’s e MC’s Afrika Bambaataa, Grandmaster Flash e Kool Herc, o grupo Sugar Hills Gang e o Dj jamaicano Lee Scratch Perry foram pioneiros da expressão RAP nas festas e bailes de rua durante a década de 1970, e também responsáveis pela sua mundialização a partir da década de 1980.

O RAP caracteriza-se pelo “cantar falando” durante uma música e pela voz forte proferindo críticas contra a miséria, as drogas, o crime, entre outras mazelas que acometiam os jovens pobres das periferias estadunidenses.

Esse “cantar falando” já era popular na Jamaica entre os rastamens, que criaram a prática de contar suas histórias por cima de músicas do estilo reggae.

Foi o DJ Kool Herc que levou o sistema de som dos jamaicanos para as periferias de Nova Iorque. Nos Estados Unidos, uniu-se ao soul, ao funk, ao jazz e a black music em geral.

Desde então, o RAP, originário das ruas, amadureceu, ganhou força e se ramificou em vários estilos, apresentando críticas cada vez mais veementes contra a idéia dominante do American Way of Life e da pretensão dos Estados Unidos, hipócrita "terra da liberdade", enquanto nos guetos os pobres latinos e afro-americanos sofriam com a violência social.
COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato