artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Segunda - 19 de Novembro de 2018
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Que tempo bom... que não volta nunca maisss...

Por: Ricardo Alexandre Ferreira

Década de 80... meados da década de 90, curto espaço de 10 a 15 anos, mas que apesar de tudo deixaram saudades!!!

 

Rua Gonçalo de Barros... antiga Rua 9 localizada no Jd. Soraya – Capão Redondo, no início uma rua de barro e de poucas casas, muito mato em volta o que não impedia a alegria contagiante da criançada e como tinha criança. Durante o dia, à tarde ou à noite a rua estava sempre cheia... brincadeiras como rouba bandeira, pega-pega, esconde-esconde, futebol, vôlei, queimada, policia e ladrão, ela ou ele (aquela que um amigo tapava os olhos para você escolher uma pessoa e escolher um beijo, um abraço...) estrela nova cela, mamãe mandou, bicicleta, carrinho de rolimã, confecção de tratores com lata de óleo e madeira, zoológico de insetos, peão, bolinha de godê, pipas, caçar vaga-lumes, retirar ameixa e amora da casa do vizinho entre outras...

 

Até os adultos se misturavam entre as crianças de diversas idades que faziam deste local seu parque de diversões, e que lugar bom, parece até que a rua vibrava sozinha em busca da criançada.

 

Destaquei esta época justamente porque atualmente não vejo mais isto não somente nesta rua, como em lugar nenhum. Onde foram parar nossas crianças? O que elas fazem hoje em dia? Será que o mundo evoluiu tanto que as crianças já não brincam mais como antigamente? Onde está o ânimo da garotada?

 

O que registro hoje em dia são garotos entre 10 e 14 anos sentados num canto, sem muitas palavras, fumando e com expressão triste e desanimada. Meninas da mesma idade partindo para a vida cada vez mais cedo, porém sem muito preparo.

 

Hoje em dia muitos tem acesso a computadores, games de última geração... aparelhos com tecnologia de ponta, se trancam dentro de suas casas/apartamentos. Isto pode até ter seus pontos positivos não crítico, mais me pergunto será que estas crianças são felizes apenas com isto? Nossa infância foi tão significante, cheia de alegria e entrosamento, sem dúvida você caro leitor que participou deste período sabe do que estou falando, pois isto não acontecia somente na Rua Gonçalo Barros, era bem mais extenso e contagiante era poder sentir o vento de encontro ao rosto, o Sol brilhar em seus olhos e a chuva... como era bom aqueles dias de verão com chuva rápida, onde a água caia e molhava seu corpo, em seguida surgia o Sol que aquecia e dava inicio a um novo dia.. Que tempo bom... que não volta nunca maissss...

 

*Volta sim basta querermos!

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato