artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Terça - 25 de Abril de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Caminhos da vida (parte 2)

Por: Garoto Loko (IT)

[[[ 2. Familia unida, luta unida ]]] Morando em Salvador, começavam a se adaptar ao novo cotidiano. Morando numa casa emprestada ate poder ter a deles própria. Ja que no interior moravam de aluguel, o sítio foi vendido e o bar também antes de se mudarem de cidade. Jorge tinha um novo cachorro, um pastor alemão, um quintal enorme na frente e atras para brincar,seu alberto tinha um grande jardim, onde podia mecher com as plantas e fazer bonsai como gostava,essa era sua distração além da Tv, dos passarinhos que criava e da sinuca. Seu alberto agora trabalhava numa empresa de segurança. Dona nilza havia encontrado seu sossego e distração na rede da varanda da casa, onde passava os momentos após chegar o trabalho no hospital publico, lá ela crochetava como ninguém por horas e horas até a hora das 06 quando tocava ave maria na radio. Jorge já estava maior, além de passear com seu novo cachorro, gostava de bola, bicicleta e videogame. Nesta casa jorge formou amigos de infancia que tem até hoje,passou os primeiros momentos de sua adolescencia e começou a definir seus proprios gostos. O pai torcia pro corinthians, dona nilda torcia pra o palmeiras, jorge escolheu o sao paulo. Na musica seus pais gostavam de samba, martinho da vila, jovem guarda, nelson gonçalves. Jorge preferia o rap ,rock, o reggae. Seu primeiro cd foi Racionais Mc´s, torcia pra escola de samba portela e adorava acompanhar os desfiles na tv desde os sete anos de idade, foi a primeira coisa que aprendeu a torcer. Na política não era diferente,, enquanto seus pais eram da ala direita, jorge preferia a ala de esquerda. Jorge gostava muito de sair, se deixasse passava o dia todo na rua, dona nilda sempre preocupada e mae coruja, estava sempre tensa. Durate a adolescencia, jorge aprontou muito e deu bastate trabalho nos estudos, mas dona nilda tava em cima e nao deixava sair da linha por mais que ele tentasse. Aos fins de semana dona nilda gostava de chamar parentes, ligar um som e fazer um churrasco, uma comida baiana e depois passar a tarde todos na varanda conversando. ela sempre dizia que nao gostava de solidão. Aos sábados era dia de feira, bem cdo entravam no carro, seu alberto e seu filho e companheiro jorge. Iam escutando musica, conversando e eternizando o velho momento de familia unida. Ao voltar para casa, estava dona nilda sempre de braços abertos esperando os dois para preparar recolher a feira e fazer o almoço. Como personalidade, dona nilda era bem calma e seu alberto bem energico. Quando acontecia mal feito de jorge já viu, se prepara que se seu alberto estivesse em casa, ele sabia que era dia de castigoe a bronca ia ser durissima. Mas nem por isso e apesar da discussão que pai e filho tinha as vezes, jorge amava muito seu pai. E dona nilda é claro sempre colaborou com isso, explicando a jorge que seu pai lhe amava mesmo quando estava bravo e reclamava e que tudo era pro bem e por amor ao filho. Assim jorge cresceu sabendo que os dois eram importantes na sua formação como pessoa, sem um ou sem outro ele não seria completamente feliz. A familia Yazushi não era rica, nem nunca foi, mas no natal, aniversário e épocas de presente seu alberto sempre dava o melhor que podia ao seu filho dentro das suas condições e dona nilda não era diferente, fazia o impossível para realizar a vontade do filho. [continua no proximo artigo0

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato