artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Segunda - 26 de Junho de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


CAIPIRICES III - O TELEFONE

Por: EDSON TALARICO

CAIPIRICES III – O TELEFONE

 

 

Meu primeiro emprego foi na Praça da Sé, em 1962. No 4º andar do prédio em que funcionava a Drogaria do Farto. Era uma loja comercial com 2 salas, em uma comércio de roupas, na outra uma loja de essências finas. 2 sócios: Seo Mário e Seo Rafael.

Quem me arrumou o emprego foi o Seo Benedito Lopes, o “Dito Fogueteiro”. Era prá trabalhar no lugar do Danilo (filho dele) que precisava sair.

Me explicaram tudo sobre o serviço:

O trabalho é cuidar da loja quando eles precisarem sair. Arrumar o estoque quando alguma coisa fosse mostrada ao cliente e ficasse sobre o balcão. Fazer uma limpeza. Fazer uma ou outra entrega e atender o telefone.

O telefone prá mim era um ilustre desconhecido. Eu só sabia o que me contavam a respeito e isso era muito pouco. Eu nunca tinha visto um. Mas eles (Seo Benedito e o Danilo) me tranqüilizaram:

Quando tocar você atende:

-“ Alô!!...

A pessoa vai falar: - “Alô! Quem está falando ?”

Você responde: - “ Quer falar com quem ?...”

Ele vai dizer: -“Quero falar com o Fulano, Sicrano, Beltrano...”

Ou às vezes a pessoa liga e é engano, se não for, você pede um momento e chama o Fulano, Sicrano...

 

Confesso que treinei isso algumas vezes.

No primeiro dia até um determinado momento tudo deu certo. Arrumei as roupas que estavam no balcão. Carreguei umas caixas até um depósito no prédio. Na hora do almoço, comi a comida fria na escada entre o 4º e o 5º andar, porque fiquei com vergonha de esquentar onde o Seo Benedito disse que era prá isso mesmo. Porque lá o pessoal da “Drogaria” também almoçava.

Sobrava tempo na hora do almoço e eu aproveitava para dar uma volta pela Praça. Rua Benjamin Constant, Barão de Paranapiacaba, Rua Direita, etc...

A cidade era linda, um burburinho gostoso:

“A borboleta, treze...” “Vaca, Macaco dezessete...”

 

Voltei ao trabalho o Seo Mario encima da escada ajeitava as peças de roupa que eu ia lhe dando. O telefone tocou...

O telefone tocou 2 vezes... O Seo Mario me olhou...

O telefone tocou a 3ª vez...

-“ Atende.”

Falou me apontando o telefone.

Tremi, tinha chegado a hora. Tirei o telefone preto do gancho. Colei no ouvido e falei hesitante:

-“Alô ?”

-“Aqui é o Sergio me chama o Rafael...”

Ué!!! E agora o que que eu faço. Não foi assim que eu aprendi. Desliguei.

O Seo Mário ficou me olhando:

-“Quem era ?”

-“Engano...” Respondi
COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato