artigos acontece nossa arte humor dialeto o comédia & o truta histórias para refletir
Terça - 25 de Abril de 2017
COLUNISTAS 
@ SANDRA LOURENÇO
@RR RODRIGUES
Ademiro Alves (Sacolinha)
Alberto Lopes Mendes Rollo
Alessandro da Silva Freitas
Alessandro Thiago da Silva Luz
Alexandre M. O. Valentim
Ana Carolina Marques
Antony Chrystian dos Santos
Carla Leite
César Vieira
Cíntia Gomes de Almeida
Claudia Tavares
EDSON TALARICO
Eduardo Souza
Elias Lubaque
FAEL MIRO
Fernando Alex
Fernando Carvalho
Fernando Chaves dos Santos
Flávio Rodrigues
Garoto Loko (IT)
Gisele Alexandre
Henrique Montserrat Fernandez
Ivan de Carvalho Junqueira
Jack Arruda Bezerra
Jean Jacques dos Santos
João Batista Soares de Carvalho
João Henrique Valerio
JOEL BATISTA
Jonas de Oliveira
Jose de sousa
Júnior Barreto
Karina dos Santos
Karina dos santos
Leandro Carvalho
Leandro Ricardo de Vasconcelos
Leonardo Lopes
Luiz Antonio Ignacio
Marcelo Albert de Souza
Marco Garcia
Marcos Lopes
Maria de Moraes Barros
massilon cruz santos
Natália Oliveira
Nathalia Moura da Silva (POIA)
NAZARIO CARLOS DE SOUZA
NEY WILSON FERNANDES SANTANNA
Rafael Andrade
Rafael Valério ( R.m.a Shock )
Regina Alves Ribeiro
Rhudson F. Santos
Ricardo Alexandre Ferreira
Rodrigo Silva
Silvio Gomes Batisa
Sônia Carvalho
Teatro nos Parques
Thiago Ferreira Bueno
Tiago Aparecido da Silva
washington
Wesley Souza
Weslley da Silva Gabanella
Wilson Inacio

APOIADORES 


Todo o conteúdo do portal www.capao.com.br é alimentado por moradores e internautas. As opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.


Vaselina

Por: EDSON TALARICO

VASELINA

 

 

Antes só via as figuras. Até imaginava ao ver um boneco em uma propaganda que se ele olhasse fixamente para o mesmo, fechasse a revista “O Cruzeiro”, ao tornar a abrir a figura houvesse mudado de lugar. Tentou isso um monte de vezes. Não deu certo. Ele achou que o problema era seu. Não se concentrara o suficiente.

 

Quando aprendeu a ler, se viu num mundo encantado. Para ele era uma felicidade pegar os gibis de seu primo Izidoro para ler. Tinha Billy The Kid, Cheyenne, Hopallong Cassidy, Dom Chicote, Zorro (O do faroeste, Mascarado, amigo do Tonto, do cavalo Silver, etc), Tarzan, Fantasma e outros.

 

Ele mesmo era um mocinho, um cavaleiro invencível. Numa corrida ninguém o alcançaria. Chegou mesmo a inventar um jeito diferente de correr, dando pulinhos e passou a desafiar seu irmão Wagner para que o apanhasse. Algumas vezes ele ganhou em outras foi agarrado e tomou uns sopapos. Aí ele atribuía a uma pedrinha no caminho o seu infortúnio e seguia em frente. Na cabeça ainda era um herói.

 

Seu ídolo era o seu primo Izidoro. Na época devia ter uns 18 a 20 anos. Um craque de bola. Era adorado pelo pessoal do “Onze Paulista” onde jogava. Vivia no olaria, nos intervalos do serviço, montando a “Boneca”, uma mulinha mansa que tinha por lá. Quando se arrumava penteava os cabelos com vaselina e ficava igualzinho aos mocinhos do gibi.

Lógico que o garoto não seria diferente. Aos domingos para ir à missa ele faria a mesma coisa.

 

Na olaria as casas não tinham luz elétrica, água encanada, gás, nada. Nenhum conforto desses modernos como conhecemos hoje. No quarto um guarda-roupas cuja porta principal tinha um espelho pelo lado de dentro que servia como toucador.

Todos se arrumaram para a missa dominical. O menino foi o último. Pegou a lamparina de querozene, abriu a porta do guarda-roupas, ajeitou a lamparina dentro do mesmo de forma a iluminar sua figura no espelho. Passou vaselina nos cabelos e se penteou. Ficou lindo. Fechou a porta e foi prá igreja no Capão Redondo.

 

Ao retornarem, 2 ou 3 horas mais tarde, alguém percebeu um fumaceiro no quarto. Abriu-se o guarda-roupa. A lamparina havia se apagado, felizmente, porém a fumaça com o forte cheiro de querozene havia pretejado as roupas que estavam penduradas. Entre as roupas um vestidinho branco da primeira comunhão da sua irmã Helen.

 

Adivinhem o que aconteceu com o herói. Virou Bandido...

COMENTÁRIOS


Colaborações deste autor:
Para ver todas as contribuições deste autor, clique aqui.

institucional capão redondo política de privacidade newsletter colunistas contato